rota do café verde no maciço de baturité

Rota do Café Verde no Maciço de Baturité

A Rota do Café Verde é uma iniciativa do SEBRAE que busca o incremento do turismo da região, promovendo a preservação ambiental e valorização histórico-cultural, desenvolvendo a produção da cafeicultura de sombra, propiciando assim, a melhoria na qualidade dos produtos e serviços ofertados.

A rota percorre belos locais nas seguintes cidades: em Baturité, o Museu Ferroviário e o Mosteiro dos Jesuítas; em Mulungu, o Sítio São Roque; em Guaramiranga o Sítio Águas Finas e a Fazenda Floresta; e em Pacoti, o Sítio São Luís.

Um pouco da história do café no Maciço de Baturité

O café foi introduzido na serra em 1922. Era produzido em sistema de pleno sol, ou seja, exposto diretamente ao sol. Este tipo de cultura proliferou, incentivando vários adeptos e a imigração. Porém, a expansão dos cafezais nesse sistema, trouxe não só a derrubada da mata nativa como também a exaustão dos solos. Após algumas décadas de belas floradas e grandes colheitas, a terra não mais possuía húmus, nem retinha umidade, tornando-se incapaz de manter o vigor produtivo para as plantas.

Depois de tanta destruição, a alternativa foi investir no reflorestamento da região. Após diversas tentativas com várias espécies de plantas, o plantio da ingazeira obteve bastante sucesso, pois além da proteção contra o sol, chuva e pragas ainda produz húmus com a queda de suas folhas. Dizem pelo maciço que o plantio da ingazeira promoveu uma verdadeira ressurreição do solo.

Porém na década de 60, a produção do café no Ceará entrou em declínio com a crise do Café (lembram a aula de história da Tia Sílvia?!!). Na década seguinte, houve uma tentativa do governo de um novo desenvolvimento, mas os programas somente incentivavam a monocultura com o café de pleno sol, inviável para a realidade cearense que apresenta um verão chuvoso, provocando a erosão do solo, e um longo período de estiagem nas demais estações do ano. A ingazeira, protetora do cafezal, foi esquecida e deixada de lado, fazendo com que a cultura do café no Ceará declinasse. Apenas alguns produtores arriscaram por conta própria o plantio do café à sombra da ingazeira.

Hoje mesmo com a importância econômica, ambiental, cultural e social da cultura do café sombreado nos limites da APA do Maciço de Baturité, o avanço da degradação ambiental, motivada pela mudança drástica nos sistemas de uso da terra, trás um certo desânimo por parte de muitos produtores que não veem o retorno esperado da sua produção. É justamente esse resgate da cultura cafeeira de modo sustentável, com todos os seus benefícios para o meio ambiente e a economia da população local que o SEBRAE busca desenvolver a Rota do Café Verde no Maciço de Baturité.

Toda essa história você vai escutar, de uma maneira emocionante e cheia de paixão, através das palavras de Laura Goes, no Sítio São Luís e Mônica Farias no Sítio São Roque. São histórias que aprendemos nos livros, mas que no Maciço são entrelaçadas às histórias de vidas de muitas famílias.

O café produzido na região é o café arábica conhecido por “vinho da Arábia”. Pois os grãos secos, depois de torrados e moídos se transformavam em uma bebida que os árabes chamavam de “qahwa”, que significa vinho, por esse motivo era conhecido como “vinho da Arábia”.

Vamos agora conhecer um pouco da Rota do Café Verde no Maciço de Baturité.

Rota do Café Verde no Maciço de Baturité

Para percorrer toda a rota, indico um final de semana inteiro. Assim, é possível fazer todo o percurso e ainda curtir o friozinho da Serra à noite. Chegando pela CE 060, você percorrerá a toda a rota na seguinte ordem.

Algumas opções de hospedagem no Maciço de Baturité testadas e aprovadas:

Em Mulungu

Pousada e Restaurante Le Rêve

Em Guaramiranga

Pousada  e Restaurante Manjericão 

Cabanas da Serra

Chalé das Montanhas

Booking

Vamos então falar sobre a Rota do Café Verde no Maciço de Baturité no Ceará

Em Baturité

Museu Estação Ferroviária de Baturité (REFSA)

Na Ce 060, do lado direito, você já avistará a locomotiva de 1882, a primeira a fazer a rota Fortaleza – Baturité, colocada ali no centenário da estrada de ferro. A estação ferroviária foi inaugurada no Reinado de D. Pedro II, em 1882. É possível visitar o museu e o BaturiArte – Centro de Artesanato de Baturité.

rota do café verde no maciço de baturité

Museu Ferroviário de Baturité

rota do café verde no maciço de baturité

rota do café verde no maciço de baturité

rota do café verde no maciço de baturité

rota do café verde no maciço de baturité

BaturiArte – Centro de Artesanato de Baturité.

Mosteiro dos Jesuítas

Localizado no Sítio Caridade, ainda é produzido e vendido o “Café do Mosteiro”. O antigo Seminário Menor do Coração de Jesus e Escola Apostólica de Baturité é carinhosamente conhecido como “mosteiro”. É um local de orações e constantemente são organizados retiros por lá. Nos dias de retiro, não é permitida a visitação, nos demais dias, você poderá visitá-lo e até hospeda-se nele.

Contato: Marlene (85) 3347 0362 / (85) 9 9187 6445 – Sempre é bom entrar em contato antes de visitá-lo, como disse: quando há retiros, a visitação não é permitida.

rota do café verde no maciço de baturité

Mosteiro dos Jesuítas

rota do café verde no maciço de baturité

rota do café verde no maciço de baturité

Em Mulungu

Ao sair do Mosteiro dos Jesuítas, voltando para CE 060, entre à esquerda na bifurcação que dá acesso à Mulungu. Basta seguir as placas e você chegará ao Sítio São Roque.

Sítio São Roque

O Sítio São Roque é um bom exemplo do tempo áureo do café. Seu Gerardo, o patriarca da família Farias, junto à sua filha Mônica, guiam os visitantes por toda a propriedade. A visita começa pelo Museu do Café, segue pela trilha com espécies da região, segue uma pausa para degustação do café arábica, produzido no próprio sítio e termina com uma visita à casa da família.

rota do café verde no maciço de baturité

Sítio São Roque

rota do café verde no maciço de baturité

Faxina, local onde seco o café.

rota do café verde no maciço de baturité

Café Arábica vendido no Sítio São Roque.

Veja mais detalhes sobre o sítio, preços e contatos: Sítio São Roque

Uma boa opção para hospedagem em Mulungu é a Pousada Le Rêve, uma das apoiadoras da rota. Veja um review da pousada: Hospedagem em Mulungu: Pousada Le Rêve.

Em Guaramiranga

É a cidade que tem mais estrutura para o turismo. Possui várias opções de hospedagem e restaurantes. Um ótimo lugar para visitar à noite.
Não fazem parte da rota, mas figuram como grandes apoiadores o Chocoberry e o Sítio Rio Negro.

A Chocoberry, uma chocolateria e cafeteria, localizada na praça central de Guaramiranga, é uma visita tradicional para saborear um fondue de chocolate, um café ou um cremoso chocolate quente.

img_5301

O Sítio Rio Negro destaca-se pelas diversas atividades produtivas pautadas na sustentabilidade. Antes de ir para casa, é imprescindível uma visita para comprar um de seus produtos como o queijo com pimenta, frutas desidratadas e vários outros tipos de queijo e demais produtos.

Sítio Rio Negro - rota do café verde no maciço de baturité

Sítio Rio Negro

Sítio Águas Finas

O Sítio de propriedade da família Uchoa, fabrica o Café Guará, desde 1937. A visita é feita através de uma trilha à sombra da ingazeira, com várias surpresas no caminho.

Contato: Cel. Uchôa (85) 3272 0240 / (85) 3321 1226 / (85) 3856.

Sítio Floresta

No Sítio Floresta é produzido o café, açúcar mascavo, licores e frutas orgânicas. E o mais curioso, é produzida a cachaça de banana.

Para informações sobre preços e agendamento de visitas: (85) 3325 1337 / 9 8547 3856

Em Pacoti

Sítio São Luís

Um casarão centenário de arquitetura imponente com suas 30 colunas, erguidas com barro e tijolos feitos no próprio local. Ali você vai ouvir um pouco da história das gerações que viveram no casarão e como se relacionaram com a cultura do café. Um passeio cheio de lembranças afetivas.

rota do café verde no maciço de baturité

Casarão imponente do Sítio São Luís

rota do café verde no maciço de baturité

Água no fogão à lenha para degustarmos um delicioso café.

Veja um pouco mais sobre o sítio: Sítio São Luís em Pacoti.

Essa é a Rota do Café Verde no Maciço de Baturité no Ceará. A rota é um passeio envolvente, cheio de história e sabor, mas o Maciço de Baturité tem muitas outras atrações. Tem atrações religiosas, trilhas, cachoeiras, ótimos restaurantes e hospedagem. Mas atenção, para curtir a serra e um pouco do friozinho em pleno Ceará, é melhor ir durante o final de semana e feriados, nos demais dias as atrações fecham. Então, curtam e veja um pouco mais sobre o Maciço de Baturité no blog Rascunhos de Fotografia.

Abraços!

Jamille

Você também poderá gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>